06/07/17

Reforma: "Governo jogou a toalha"

O deputado Daniel Almeida, do PCdoB, entende que ao dizer que "não tem clima" para discutir a reforma da Previdência

O deputado Daniel Almeida, do PCdoB, entende que ao dizer que "não tem clima" para discutir a reforma da Previdência, o relator da proposta na Câmara dos Deputados, Arthur Maia (SD), "admitiu a derrota do governo"; "Arthur quer salvar a própria pele, constatando o que todos já perceberam: a incapacidade desse governo golpista de aprovar qualquer coisa no Congresso Nacional. Não tem nenhuma condição de passar essa reforma da Previdência na Câmara. A sociedade não aceita de jeito nenhum esse absurdo contra seus direitos que foram garantidos à custa de muita luta contra os tiranos desse país. Temer não tem chance nenhuma de conseguir apoio de 308 parlamentares", avalia Daniel.

O deputado federal baiano Daniel Almeida, do PCdoB, entendeu que ao dizer que "não tem clima" para discutir a reforma da Previdência, o relator da proposta na Câmara dos Deputados, o também baiano Arthur Maia (SD), "admitiu a derrota do governo".

"Arthur quer salvar a própria pele, constatando o que todos já perceberam: a incapacidade desse governo golpista de aprovar qualquer coisa no Congresso Nacional. Não tem nenhuma condição de passar essa reforma da Previdência na Câmara. A sociedade não aceita de jeito nenhum esse absurdo contra seus direitos que foram garantidos à custa de muita luta contra os tiranos desse país. Temer não tem chance nenhuma de conseguir apoio de 308 parlamentares", avalia Daniel Almeida.

O comunista pondera, porém, que o governo tem "chances reais" de aprovar a reforma trabalhista no Senado, mas diz também que a oposição ainda não desistiu de lutar pela derrubada da matéria em plenário.

"A reforma trabalhista vai ser uma batalha dura no senado. Quem ganhar, vai ganhar por margem pequena. Temos possibilidade de derrotar os golpistas. Se o governo tiver votos suficientes, vai ser uma vitória muito apertada. A oposição acredita que consegue barrar esse absurdo desse governo ilegítimo", disse o deputado baiano.

(Brasil 247)