03/10/19

Previdência Social

Alerta para golpes aplicados no INSS

A Secretaria de Previdência do Ministério da Economia alerta para golpes em que bandidos se passam por representantes do órgão para oferecer benefícios e extorquir os segurados. Em nenhuma hipótese, membros de conselhos ligados à Secretaria de Previdência entram em contato com segurados.

No caso mais comum, os estelionatários se passam integrantes do Conselho Nacional de Previdência (CNP) e entram em contato com segurados da Previdência por telefone. Sob a falsa alegação de que o cidadão teria direito a receber valores atrasados de benefícios pagos pela Previdência, eles solicitam o depósito de determinada quantia em uma conta bancária, afirmando que o valor seria necessária para a liberação de um suposto pagamento, o qual não existe.

Há situações em que os segurados recebem uma falsa convocação para resgatar valores devidos a participantes de carteiras de pecúlio que teriam sido descontados da folha de pagamento como aposentadoria complementar, a “Chamada para Resgate”. Ou, ainda, os criminosos abordam os segurados e afirmam que estes teriam direito a receber valores referentes a uma falsa revisão de benefícios concedidos à época do governo Collor. Para isso, solicitam informações pessoais ou bancárias dos cidadãos, cobrando pelos serviços prestados ou custas judiciais.

Os bandidos também entram em contato com o segurado para informar que ele teria direito a receber precatórios, solicitando ao cidadão que entre em contato por meio do número de telefone informado, para que o valor seja rapidamente liberado. Tudo, na verdade, não passa de um golpe. Todas as revisões de benefícios realizadas pela Previdência são baseadas na legislação, e os segurados não precisam realizar nenhum pagamento para ter direito ao benefício.

A Secretaria de Previdência não solicita dados pessoais dos seus segurados por e-mail ou telefone. A recomendação é que os segurados não recorram a intermediários para entrar em contato com a Previdência Social, nem forneçam dados pessoais a estranhos ou façam depósitos.As vítimas desse tipo de abordagem devem registrar boletim de ocorrência na Polícia Civil.  

(Mixvale)