27/02/20

Ministério confirma o primeiro caso do novo coronavírus no Brasil

Ministro disse que a doença é "uma gripe" e que governo agora observa o comportamento do vírus no país.

O primeiro caso do novo coronavírus no Brasil foi confirmado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (26). Trata-se de um homem de 61 anos que passou pela Itália e está em São Paulo.
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que as medidas para diagnóstico e tratamento serão reforçadas a partir da comprovação. No entanto, ele minimizou os riscos da doença e disse que o país mantém as práticas adotadas a partir da declaração de emergência em saúde pública.
"É uma gripe. É mais uma gripe que a humanidade vai ter que atravessar. Das gripes históricas, ela se comporta bem [não oferece tanto risco]. Como todo vírus, a medida mais eficaz é nós termos agilidade", declarou o ministro.
Segundo Mandetta, as autoridades sanitárias brasileiras vão observar o comportamento do vírus a partir da primeira confirmação no país. "No Hemisfério Sul, agora que vamos ver como esse vírus vai se comportar na situação de um país tropical, em pleno verão".

O secretário de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann Ferreira, disse que entramos em uma "nova fase" de cuidados, com a tendência de que os casos suspeitos aumentem no Brasil. "Vão aumentar o número de pessoas que vão ser consideradas suspeitas, porque aumentou o número de países [considerados em risco].

Cuidados com o paciente.
De acordo com o Ministério, o paciente com a doença confirmada ficará em isolamento domiciliar e passará por 14 dias de quarentena, acompanhado diariamente por agentes de saúde.
O ministro da Saúde explicou que o homem só será levado a um hospital caso seu estado piore. "Caso ele tenha queda no estado geral, piora no seu estado clínico, na sua capacidade de respirar, aí sim ele vai ser levado a um ambiente hospitalar", afirmou Mandetta.

Em razão do contato com o paciente infectado, outras pessoas estão sendo contactadas pelo governo federal. Isso não significa, contudo, que elas sejam tratadas como suspeitas, já que isso depende da apresentação de sintomas.
"No domingo, ele recebeu a família. Trinta pessoas da família. Todas as pessoas estão sob observação. Mais os passageiros do avião", relatou o ministro. "Acredito que tenhamos próximo de 50, 60 pessoas", complementou.

Casos
Até agora são 80.239 casos confirmados da doença causada pelo novo coronavírus, em 34 países diferentes, conforme dados repassados pelo Ministério da Saúde. O número de mortes chegou a 2,7 mil. No Brasil, além do caso confirmado, são 20 casos suspeitos e 59 descartados. 

(Erick Gimenes - Brasil de Fato)