26/06/20

Flexibilização: OMS alerta sobre aumento de casos de coronavírus na Europa

Probabilidade de uma segunda onda de infecções e o impacto sobre os sistemas de saúde dos países é motivo de preocupação da organização.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta quinta-feira, 25, que o número de contágios pelo novo coronavírus voltou a subir na Europa, após a flexibilização progressiva às regras de isolamento, adotada por boa parte dos países do continente. A agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para a saúde disse estar em alerta sobre a possibilidade de uma segunda onda da doença e o impacto nos sistemas de saúde dos países.

Na semana passada, a Europa registrou um aumento no número de casos semanais pela primeira vez em meses. “Em 11 países, a aceleração da transmissão registrou um aumento significativo (das infecções) que, se não for controlado, deixará mais uma vez os sistemas de saúde na Europa à beira do abismo”, disse o diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge.

De acordo com a OMS, a Europa tem registrado todos os dias quase 20 mil novos casos e 700 mortes por coronavírus. Kluge elogiou a reação rápida de países do continente, como Espanha, Polônia e Alemanha, e de fora dele, como Israel, ante o aumento de novos casos nas últimas semanas. “Quando apareceram novos casos, foram controlados graças a uma intervenção rápida e bem dirigida”, disse o diretor.

Na terça-feira, a Alemanha determinou o retorno do confinamento de uma região onde vivem 600 mil pessoas por causa do surgimento de um foco de infecções no maior matadouro da Europa. No país, estão sendo relatados até 750 novos casos diários. Mais de 92 mil pessoas contraíram o coronavírus na Alemanha até hoje e 8.927 pessoas morreram.

Passou a vigorar hoje na Espanha um conjunto de regras para a prevenção da covid-19, após surtos localizados em regiões distantes umas das outras, como as províncias de Málaga (sul), Huesca e Lérida (nordeste) e Valladolid (centro-norte).

Entre as medidas estão o uso obrigatório de máscaras em todos os locais públicos, sejam fechados ou abertos, e o reforço da atenção primária à saúde.

O ministro da Saúde, Salvador Illa, disse que o vírus “ainda está presente e pode nos atacar novamente”. Ele apelou à responsabilidade das pessoas para evitar o contágio, ao pedir para que elas mantenham distância de 1,5 metro quando estiverem em locais públicos. O país notificou duas mortes por covid-19 hoje, elevando o total de vítimas para 28.327. O órgão também contabilizou 196 novas infecções nas últimas 24 horas, em um total de 247.086.  

(Agência Estado)