27/11/20

Bolsa fecha estável e dólar sobe a R$ 5,33

Ativos locais operaram perto da estabilidade nesta quinta, sem o apoio do mercado acionário de Nova York, que está fechado por conta da data festiva nos EUA.

Sem a referência do mercado acionário de Nova York, fechado por conta do feriado do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, a Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, passou boa parte do pregão rondando a estabilidade nesta quinta-feira, 26, mas conseguiu fechar com alta de 0,09%, aos 110.227,09 pontos, emendando sua quarta alta seguida. No câmbio, o dólar ensaiou uma realização de lucros e fechou com alta de 0,28%, a R$ 5,3352.

Sem a referência de fora, o investidor daqui optou por evitar os riscos, ainda no aguardo de desdobramentos em Brasília sobre a situação fiscal - um imobilismo que ontem à noite resultou em farpas indiretas entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do BC, Roberto Campos Neto, sobre qual seria o melhor caminho a seguir, em situação na qual "credibilidade é mais importante do que gasto de curto prazo", na visão da autoridade monetária. Guedes respondeu que, se o tem, Campos deve apresentar o próprio plano para recuperação da credibilidade fiscal.

"A indefinição sobre o Orçamento para 2021 preocupa, o teto de gastos precisa ser respeitado. Há uma disputa de narrativas e a solução parece estar na cabeça do presidente da República, se privilegiará ou não a expansão de gastos com vistas à sua popularidade. É preciso lembrar que 2022 está longe demais", observa Erminio Lucci, CEO da BGC Liquidez.

Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora, chama atenção para o desempenho melhor do que o esperado para as contas do governo central em outubro, divulgadas hoje. "Foi registrado déficit primário de R$ 3,6 bilhões em outubro, muito melhor do que a expectativa do mercado. Desde abril só eram registrados números catastróficos, por conta da pandemia. O resultado de hoje gerou alívio nas projeções quanto ao rumo do fiscal, assim como mostra melhora inesperada do lado da arrecadação."

Com o feriado nos EUA, o giro financeiro foi fraco nesta quinta e ficou limitado a R$ 19,7 bilhões. Na semana, o Ibovespa acumula alta de 3,95% e no mês, de 17,32%. "A cesta de emergentes, em que o Brasil está incluído, tem sido favorecida pelo dólar mais fraco e pela reativação do interesse do investidor externo, em contexto de elevada liquidez global e de evolução das vacinas", aponta Lucci, CEO da BGC Liquidez. Ele chama a atenção para a rotação de carteira em direção a setores que tendem a se beneficiar da retomada econômica, como os de materiais, energia e companhias aéreas.

Nesta quinta-feira, com o minério de ferro em alta de 0,77%, negociado a US$ 128,39 por tonelada na China, Vale ON subiu 1,42%, enquanto Usiminas saltou 4,04% e CSN teve ganho de 4,53%. O dia também foi de avanço para Gerdau PN, com 1,91% e Suzano, com 5,68%. Na face oposta, Itaú cedeu 2,11%, e Pão de Açúcar, 2,06%. Em dia de anúncio do plano estratégico até 2025 e de ajuste negativo nas cotações da commodity, Petrobrás ON e PN fecharam respectivamente em baixa de 1,54% e 1,64%.

Câmbio
O feriado nos Estados Unidos hoje esvaziou os negócios no mercado de câmbio. Com volume de operações de menos da metade de um dia normal, o dólar chegou a ensaiar queda mais forte no começo da tarde, recuando abaixo de R$ 5,30 com entrada de fluxo, que já se aproxima de R$ 30 bilhões este mês somente na Bolsa, um recorde histórico. Com isso, o real operou descolado de moedas de parte das emergentes, em dia que a divisa se fortaleceu no mercado internacional. Mas o movimento de queda aqui perdeu força perto do fechamento e a moeda americana passou a subir, com o real se realinhando a seus pares, em meio a realização de ganhos após as baixas recentes do dólar, que já superam 7% em novembro. O dólar para dezembro fechou com alta de 0,23%, a R$ 5,3370.

O sócio e economista-chefe da JF Trust Gestão de Recursos, Eduardo Velho, destaca que o feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos prejudicou a liquidez no mercado internacional, reduzindo o próprio fluxo para o Brasil. Além de fechar o mercado hoje, amanhã Wall Street opera apenas meio período, com a maioria dos investidores fora das mesas. A "paralisia fiscal e ruídos na equipe econômica" tendem a deixar os investidores mais cautelosos, ressalta Velho, falando sobre a troca de farpas entre Guedes e Campos Neto.

O dólar operou em leve alta ante moedas fortes, especialmente o euro. Nos emergentes, subiu na maioria, com a Turquia sendo uma das poucas exceções, com investidores realizando ganhos após os fortes movimentos ante a lira. "Não são apenas os EUA que estão em feriado, ao que parece, com os mercados financeiros um pouco estagnados na quinta-feira", destaca o analista de mercado financeiro da corretora Oanda na Europa, Craig Erlam, em nota. Com agenda esvaziada mesmo fora dos EUA, a perspectiva é de mercados seguirem meio parados até amanhã.  

(Agência Estado)