Esclarecendo a Rentabilidade de Maio/2018

O mês de maio foi marcado por fatores externos e internos que geraram turbulência no mercado financeiro, trazendo incertezas quando ao cenário econômico futuro, principalmente no que tange o resultado das eleições no Brasil, com os analistas de mercado demonstrando certa dúvida quanto a capacidade dos candidatos que estão na “ponta” das pesquisas de realizarem as reformas necessárias.

Estes fatores desencadearam um forte ajuste na curva de juros futuros, aumentando o prêmio e a volatilidade dos ativos domésticos.

Com isso os títulos de renda fixa indexados à inflação das carteiras de renda financeira da Fundambras, que são suscetíveis às oscilações do mercado, sofreram significativa desvalorização momentânea, apresentando rentabilidade negativa na casa de -2,30%, e assim impactando negativamente o resultado total das carteiras.

Em maio a maior parte das classes de ativos financeiros tiveram variação negativa, impactando a rentabilidade dos planos de previdência, fundos de investimento e etc.

É importante destacar, que a variação negativa de maio, como aquelas que foram significativamente positivas no início de 2018,  são meramente contábeis, pois os títulos que estão na carteira da Fundambras têm como objetivo serem mantidos até o vencimento e terão como rentabilidade final, aquela pactuada na aquisição do papel.

Observamos que o mercado deve continuar apresentando alta volatilidade em função das questões políticas e econômicas do Brasil e do mundo.